Pesquisar este blog

Enigma: Por que mendigos não ficam carecas?


Uma pergunta popular intriga a ciência, pois sua resposta poderia trazer milhões a industria de medicamentos, pois são gastos valores muito altos na pesquisa de remédios para nascer cabelos nos calvos. Por que mendigos nunca ficam carecas ?
Irei postar um texto que encontrei na Internet a respeito do assunto. 


Abaixo segue o texto:


Na verdade devemos dizer que não é tão fácil realizar esta tarefa. Pois a natureza sempre faz o que é necessário ao homem. Aqui vai também um esclarecimento. A pergunta acima é feita no Brasil, e os mendigos a que se referem são na realidade sujeitos não pedintes, mas alienados da sociedade, e que ao contrário de pedir, coletam seu alimento no lixo, vestem-se com todo tipo de material e rarissimamente conversam com alguém. 
E para entendê-los vamos analisar um outro enigma: 

Os Loucos
Os loucos clássicos, ou seja, os tradicionais são aqueles que se contam em todas as anedotas, os que trocam de personalidade. Alguns pensam momentaneamente ou até durante toda a sua vida que são Napoleão Bonaparte, Cristóvão Colombo, Abraham Lincon, e outras pessoas importantes. E ainda muitos outros pensam que são desde cabides de pendurar roupas até animais como cachorro e gato. Durante todos os anos existentes do conhecimento científico, sempre se pesquisou os cérebros dos loucos, mas nada foi encontrado.

Os Mendigos
Durante os vários anos de pesquisa do Respostas ao Impossível, os mendigos foram analisados por causa de sua alienação da sociedade. Nossa pesquisa intensificou-se em ouvi-los, para entender por que falavam sozinhos.
Verificamos que, paralelamente aos loucos, eles discussavam assuntos interessantes, como guerras, política, sociologia e outras ciências, como se estivessem presentes nestas situações, ou vendo a imagem destas coisas.

Resposta ao enigma:
Os pensamentos, ou o conhecimento como já verificamos através do estudo do francês Descartes, não estão em nós, mas fora de nós. E já sabemos que para haver movimento, as coisas precisam de energia. E que a energia se movimenta de onde há maior quantidade para onde há menor quantidade. Verificamos então que as células dos cérebros dos loucos, possuem menor energia que as das pessoas que qualificamos como normais, o que significa um maior número da quantidade de neurônios, ou por sua magnitude e cedo amadurecimento. Como o conhecimento vai da área externa a corpórea para a interna, os pensamentos nessas pessoas passam a viajar de forma extraordinariamente rápida, e que ao contrário de nós, seres qualificados como normais, que pensamos uma coisa de cada vez, eles possuem a habilidade de receber vários pensamentos ao mesmo tempo. E sendo que estes pensamentos podem não ter nada a ver com o momento presente, mesmo que o som ao seu redor, seja de nossa voz, tentando conversar com eles, ou de qualquer outra advertência natural. Ou seja, os mendigos recebem pensamentos de várias épocas, assim como os seres humanos considerados loucos pela sociedade, e assim ficam alienados do momento presente. A energia no entanto, para penetrar em um cérebro tão carente da mesma, com uma velocidade maior, precisa fazer os caminhos naturais para isso, que são nada mais que os cabelos. Assim, a própria natureza constrói uma via, que podemos chamar de condutores de energia para o cérebro dos mendigos, e por isso mesmo, necessidade natural, eles possuem normalmente mais cabelos que qualquer outra pessoa.